Em Cima da Hora
recent

Belo Horizonte terá vigília pelas vitimas da boate gay de Orlando

LARISSA BORGES
do PORTAL UNIVERSO, em BELO HORIZONTE, (MG)

Os organizadores pedem que os participantes levem velas e bandeiras com as cores do símbolo LGBT.

Foto: Reprodução / AFP

Belo Horizonte vai realizar uma vigília pelas vitimas da boate LGBT (Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transsexuais), ao todo foram 50 pessoas mortas e outras 53 feridas. A vigília acontecerá na terça-feira, 14, na Praça da Assembleia, no bairro Santo Agostinho, na região Centro-Sul da cidade às 18h.

Os organizadores pedem que os participantes levem velas e bandeiras com as cores do símbolo LGBT.

O atirador identificado como Omar Mateen, de 29 anos, foi o responsável pelos tiros. O jovem é filho de pais afegãos. Segundo autoridades americanas, ele ainda teria ligações com grupos terroristas do Estado Islâmico. Esse foi um dos maiores atentados nos Estados Unidos, perdendo apenas para 11 de setembro de 2001.

Segundo a Policia americana, Omar estava bem preparado para cometer a série de crimes. 

No mundo grupos ligados a comunidade LGBT vem fazendo vigílias em prol das vitimas da série de crimes. Em Belo Horizonte será três dias de solidariedade as vitimas do massacre.

"Vigília pelas vítimas de LGBTfobia, tanto no massacre em Orlando, quanto no Brasil - um dos países que mais matam por LGBTfobia no mundo e onde se verifica um aumento do discurso de ódio em alguns setores da sociedade. A escolha do local da vigília é simbólico. Nos dias 15, 16 e 17 de junho, na Assembléia Legislativa de Minas Gerais, acontece a rodada final de discussões do Fórum do Plano Estadual de Educação e, infelizmente, uma parcela dos presentes pretende censurar a discussão de gênero nas escolas mineiras. Acreditamos que somente por meio da educação é possível combater os discursos de ódio e a violência contra a diversidade.", disse os organizadores através das redes sociais.

Segundo Joana Ziller, uma das organizadoras do evento, o evento visa combater a homofobia e a cultura do estupro. Segundo ela, um dos objetivos é homenagear as vitimas e chamar a atenção para os casos de homofobia no Brasil e no mundo. 

Para saber mais sobre o evento acesse:
https://www.facebook.com/events/182217308847016/

Em São Paulo


Em São Paulo integrantes do movimento LGBT fizeram uma vigília pelas vitimas no Museu de Arte de São Paulo (Masp).
Foto: Nelson Antoine/Framephoto/Estadão Conteúdo

Em São Paulo integrantes do movimento LGBT fizeram uma vigília pelas vitimas no Museu de Arte de São Paulo (Masp). Segundo os organizadores, a militância LGBT esta 'consternada' pelo massacre em Orlando. O grupo ainda chama atenção pelos casos de homofobia e perseguição no mundo contra homossexuais. Cerca de cem pessoas estiveram no local.
Redação

Redação

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Tecnologia do Blogger.