Em Cima da Hora
recent

As brigas de trânsito

da Revista Universo

Morte de Inoscente



O enterro do menino baleado em Campo Grande, em uma briga de trânsito. A mãe do menino de 2 anos estava inconformada e pedia justiça.

Em uma briga de trânsito, quando o tio e o avô do menino estavam indo à escola, para apanhar uma outra criança.

O avô também foi atingido, foi operado e ainda está no hospital. Apesar de ter sido atendido no local, o menino não resistiu.

O responsável pelos disparos foi prestar queixa na delegacia e saiu preso.

Atropelamento
Uma mulher morreu depois de ser atropelada por um ônibus na entrada do terminal João Setti, no Centro de São Bernardo. Segundo versão do próprio motorista do coletivo, uma discussão de trânsito teria sido a causa do acidente.

A biomédica Fabiana Karla de Araújo Batista, 27 anos, que trabalhava no Hospital Albert Einstein, estava ao lado de uma mureta na entrada do terminal quando foi atingida e prensada pelo ônibus dirigido por Orivaldo Donizette Antunes, 52.

Gravemente ferida, Fabiana foi levada ao Pronto-Socorro Central, mas não resistiu aos ferimentos. O motorista e quatro passageiros também foram atendidos e liberados no início da madrugada.

Segundo boletim de ocorrência registrado no 1º Distrito Policial, o motorista do ônibus que se envolveu no acidente alegou ter sido fechado um Uno e ter "perdido a cabeça" quando o condutor do carro fez um gesto obsceno para ele. Antunes teria dito aos policiais militares que só recordava de ter atingido a mureta e a vítima.

A força do impacto fez rachaduras na mureta de concreto e entortou a grade de ferro que serve de proteção aos pedestres.

Antunes vai responder por homicídio culposo (quando não há intenção de matar) e lesão corporal devido aos ferimentos causados aos passageiros do ônibus. Mas a situação do motorista pode se agravar porque deverá ser instaurado inquérito policial e ele pode ser indiciado por homicídio com dolo eventual por ter se descontrolado depois da discussão de trânsito.

Ameaças
Um advogado de 80 anos discutiu no trânsito, foi seguido por outro motorista e acabou detido pela Polícia Militar, na tarde de domingo, em Pinheiros, zona oeste de São Paulo. O suspeito, que segundo a Secretaria de Segurança Pública, estava com uma arma de fogo, foi autuado por porte ilegal e ameaça. A polícia foi acionada por um comerciante informando que seguia um carro cujo motorista, após uma colisão, o havia ameaçado com uma arma de fogo. O fato teria ocorrido na rua Mateus Grou, em Pinheiros, e o suspeito seguia pela rua Pinheiros, em direção à avenida Brigadeiro Faria Lima.

Autoridade Envolvida
Por causa de uma briga de trânsito próximo ao cajueiro de Pirangi, o titular da Delegacia Especializada de Armas, Munições e Explosivos (Dame), Alexandre Coutinho, vai ter de responder à sindicância administrativa e a inquérito criminal na jurisdição da 2ª Delegacia de Polícia, em Parnamirim.

O delegado Alexandre Coutinho foi acusado, por um engenheiro, de tê-lo agredido a coronhadas de pistola, na tarde de domingo, conforme boletim de ocorrência registrado na Corregedoria Geral da Polícia.

Em virtude das agressões, o engenheiro sofreu um corte na cabeça que pegou 20 pontos, além de ter perdido três dentes. O incidente ocorreu na presença da mulher do engenheiro, que estava acompanhado do filho, um bebê, e sobrinhos.

O corregedor geral da Secretaria Estadual de Segurança Pública e Defesa Social, Alexandre Henrique Pereira, informou que será nomeada uma comissão de sindicância formada por três delegados da Polícia Civil para apurar o caso e, mesmo sem ter ouvido a versão do delegado Coutinho, um boletim de ocorrência já foi enviado para o Delegado Geral de Polícia, Elias Nobre, para que seja aberto um inquérito policial.

Segundo o engenheiro disse à corregedoria, tudo começou com uma discussão de trânsito, de forma que o policial teria deixado o veículo e partido com arma em punho em direção ao carro onde o engenheiro estava com a mulher. Com medo, o engenheiro teria deixado o veículo e correu, sendo perseguido pelo delegado.

O carregador da arma do policial teria caído durante a agressão ao engenheiro. Um policial militar que estava nas imediações do cajueiro de Pirangi percebeu a situação e quando se dirigiu ao local teria sido informado por Coutinho que era delegado de Polícia Civil. A mulher do engenheiro anotou a placa do veículo modelo Fiat Idea, posteriormente confirmado como de propriedade do delegado.

Briga seguida de Morte
Uma discussão de trânsito acabou em morte em Pinhais, na região de metropolitana de Curitiba. O crime ocorreu na Rua Tocantins, por volta das 21h20.

Segundo a Polícia Militar (PM), Adilson dos Santos, 28 anos - que estava em um Pálio -, levou dois tiros após discutir com um homem que estava em um Gol. O autor dos disparos fugiu, mas teria voltado minutos mais tarde e deu mais dois tiros na cabeça vítima.
Redação

Redação

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Tecnologia do Blogger.